Sopa de cenoura

3 10 2011

Havia uma jovem mulher com uma geladeira cheia de vegetais que precisam ser usados.

Havia o avô da jovem mulher que, acometido por um scotch a mais, repetiu durante todo o almoço de família que ela havia engordado, estava com a bochecha gorda e precisava emagrecer.

Havia a internet com uma série de receitas que deram idéias para um prato.

E assim como quem não quer nada, Fiat sopa.

 

Sopa de Cenoura

Ingredientes:

2 Cenouras (descascadas e picadas)

1 talo de salsão picado

1 cebola em fatias finas ou picada

1 alho picado

Coentro moído

500 a 750 ml de caldo de legumes

Molho de pimenta (a gosto)

suco de 1/2 laranja ou tangerina ou limão siciliano ou limão normal (escolhe um)

1 colher de azeite

sal e pimenta do reino

 

 

Modo de fazer

1- Refogue a cebola e o alho no azeite, em fogo baixo, por 5 minutos

2- Adicione o salsão e a cenoura e deixe mais 5 minutos.

3- Adicione o caldo de legumes, o coentro moído, o molho de pimenta, o sal e a pimenta do reino. Deixe cozinhando em fogo baixo por 20-30 min, até a cenoura estar mole

4- Bata com o mixer ou liquidificado

5- A parte mais legal: adicione o suco do 1/2 laranja/tangerina/limão siciliano/limão. Vá adicionando aos poucos e sentindo o gosto, de acordo com o quanto de acidez você gosta. Faz toda diferença Fiz com limão mas estou curiosa pra fazer com tangerina ou laranja.

6- Esconda o scotch do seu avô.

 

E aí, sopa de cenoura!

 

 





Sopa delicinha de tomate

17 05 2010

Com o frio que chegou finalmente (eba!), é dada a largada na temporada de caça às receitas de sopa. Afinal, o inverno dá uma fome… Então, viva as sopas, que são fáceis de fazer, saborosas e não causam arrependimento calórico no dia seguinte.

Sopa caseira de tomate

Receita original aqui.
Nota: A receita original tem muito mais gordura do que a versão que eu fiz: um mundo de azeite, mais manteiga e até creme de leite. Não usei tudo isso, afinal, o principal objetivo da sopa é comer algo mais leve.
Se for para comer gordura, vamos fazer é costelinha de porco.

Ingredientes

1 lata de tomates pelados, picados

1 talo de salsão, picado

1 cenoura pequena, picada

1 cebola, picada

2 dentes de alho, picadinhos

1 xícara de caldo de galinha (pode até ser mais)

1 folha de louro

1 colher de sopa de manteiga

1/4 de xícara de folhas de manjericão picadas (uns 2-3 talos, ou o quanto você achar bom)

Azeite extra-virgem

Sal e pimenta do reino

Modo de fazer

Pré-aqueça o forno em temperatura médio-alta (230 graus).

Separe os tomates da lata do seu molho – reserve o molho. Pique os tomates, coloque em uma assadeira, regue com azeite, sal e pimenta. Coloque-os para assar no forno até eles estarem caramelizados – por volta de 15 minutos.

Enquanto eles cozinham, aquela mais azeite numa panela em fogo médio baixo. Coloque o salsão, a cenoura, a cebola e o alho. Refogue até eles amolecerem (uns 10 minutos). Quando eles estiverem bem molinhos, coloque os tomates caramelizados (que vão estar com um cheiro incrível), o molho da lata de tomate que você tinha guardado, caldo de galinha, folha de louro e manteiga. Misture tudo, chegue numa fervura baixa e deixe lá até os vegetais amolecerem bem. Uns 20 minutos, talvez menos.

Quando estiver quase bom, coloque o manjericão e ajuste o sal e pimenta. Aliás, usei bastante pimenta, ficou bom…

Depois, coloque a sopa para bater em um liquidificador, ou bata no mixer. O que fizer você feliz.

E está pronta. Delicinha! 🙂

Me aqueça nesse inverno, baby

Na receita original fala que isso serve 4 pessoas, mas só se for como uma entradinha de uma refeição maior, o que raramente é o caso em casa.  Essa receita serve 2 pratos fundos razoavelmente generosos e só.

Mas vale a pena, é muito boa!





Conforto

25 04 2010

A vida é muito intensa e, às vezes, agressiva. No fundo, somos todos como aqueles chineses que equilibram pratinhos numa vara, correndo de um lado para o outro para não deixar nenhum prato cair.

Embora isso seja legal e instigante, tem hora que precisamos dar um tempo para nos recompor. Se não percebemos isso sozinhos, nosso próprio corpo pede: muitas vezes, uma doença é só o seu corpo dizendo a você: “se você não parar pra se cuidar por bem, paro eu por mal!”

Hoje eu fui ao hortifruti (adoro “hortifrutigranjeiro”) e comprei várias coisas, pensando em cozinhar e postar aqui. Aí uma febrinha e um mal estar me fizeram ficar plantada na minha cama desde a 7 da noite, lidando comigo mesma, deitadinha, vendo seriados na TV. Sem cozinhar, pois não havia forças nem fome.

Aí lembrei que no começo da semana, já vendo os primeiros sinais do cansaço, fiz pra mim uma das melhores comfort foods de todos os tempos: Capeletti in Brodo. Se eu estivesse com fome agora, era exatamente o que eu gostaria de comer.

Capeletti in Brodo

(segundo o Google, é assim que se escreve “capeletti”)

Essa receita tem as 2 características fundamentais de uma comfort food:

1) É fácil de fazer (porque ninguém tem uma vontade louca de carré de cordeiro quando está doente)

2) É fácil de comer (porque a vida já está difícil o suficiente para ainda exigir que você mastigue muito)

Mas o diferente da receita – que não é muito confortável, confesso – foi fazer o caldo de carne. Desde a época do molho al sugo, meu vô me falava do caldo de carne que minha avó colocava no molho, e eu fiquei com vontade de tentar fazer.

Fazer caldo de carne hardcore é algo complexo e chato, envolve restos de carne e ossos, coisas que não sobram muito quando você cozinha só para você. Minha amiga chef mesmo fala que não vale tanto a complicação. Mas, quem falou que a vida é simples.

Comprei um pedaço de músculo e fui em busca de uma receita simples de caldo de carne. Encontrei um vídeo explicativo muito legal do Cyber cook, que adorei. Viva os vídeos feito para pessoas que estão aprendendo!

Fiz exatamente igual e ficou gostoso. O bom é que o caldo não é temperado, você só tempera a hora que usa.

Dá pra fazer um monte de caldo e congelar no freezer para quando precisar.

Depois, foi simples. Comprei um capeletti fresco (de queijo), coloquei o caldo no fogo e, assim que começou a ferver, coloquei o capeletti e deixei cozinhar por 9 minutos. Ah, e coloque sal e pimenta do reino a gosto no caldo.

Fácil, rápido, indolor, gostoso e extremamente confortável.

Comfort photo

Esse post foi escrito direto do meu edredom, ouvindo músicas confortáveis. Recomendo a trilha sonora de Glee e um pouco de Roy Orbinson.





Sopa de Abóbora – Receita do Oliver :)

8 04 2010

Sempre defendi que a criatividade é uma questão de exercício. As idéias e a inspiração que tanto buscamos estão rodando a nossa volta. Ser criativo é saber se abrir para observar, associar e, então, construir.

Por exemplo, a idéia de fazer uma sopa de abóbora japonesa me surgiu de uma junção de 3 fatos:

1) Assistindo Top Chef (adoro), um dos participantes fez uma sopa de abóbora. Na hora, só achei legal.

2) Fui no supermercado e, quando fui pegar abobrinha, tinha um monte de abóbora japonesa me atrapalhando. Depois, na prateleira dos orgânicos, mais outro monte de abóbora japonesa no caminho. Nessa hora, olhei pra tanta abóbora, e pensei: “Deve ser época para ter tanta. Bom sinal: vou levar uma”.

3) Procurando receitas, lembrei da sopa de abóbora do Top Chef, mas não achei a receita. Procurando melhor, e achei uma receita do Jamie Oliver. Não sei se já falei, mas eu sou apaixonada por ele. Além de estar toda feliz de fazer uma receita dele, ela era uma das mais lights que eu encontrei. U-hu!

Sopa de Abóbora Japonesa

Receita original do Jamie Oliver – só reduzi as medidas e tirei o chili. Mas da próxima vez eu vou colocar o chili.

Primeira parte: ajustar as medidas! Viva o sistema métrico, não é minha gente? Descobri que 1 quart = 0,9 litro, mais ou menos.

Ingredientes

16 folhas de sálvia

2 cebolas vermelhas (óbvio q usei a normal), descascadas e em cubos

2 talos de salsão, limpos e em cubos

4 dentes de alho, descascados e em cubos

2 talos de alecrim – use as folhas

1/2 pimenta chili (ou dedo de moça, ou equivalente), sem semente e cortada bem fina

2 kg de abóbora japonesa – Isso dá um pouco mais de uma inteira – sem sementes e em pedaços. Pode deixar a casca.

2 litros de caldo de galinha (pode usar mais se quiser, a sopa fica bem cremosa)

sal e pimenta do reino a gosto

azeite extra virgem

Modo de Preparo

Aqueça umas 3 colheres de sopa de azeita em uma panela grande, e frite a sálvia por uns 30 segundos, ou até ela escurecer. Tire a sálvia e reserve num papel toalha – depois você vai usar pra decorar.

Parabéns, agora você tem azeite temperado com sálvia! Na mesma panela, coloque a cebola, o salsão, a cenoura, o alho, as folhas de alecrim, a pimenta chili, e uma boa pitada de sal e pimenta do reino. Cozinhe por uns 10 minutos, até que os vegetais fiquem molinhos.

Adicione a abóbora e o caldo de galinha na panela, aqueça até ferver, depois abaixe bem o fogo e deixe cozinhando por 30 minutos.

Não tirei foto da sopa (oops). Então vai uma foto da abóbora!

Depois de cozinhar, deixe a sopa esfriar por 5 minutos e bata no liquidificador (com a sopa quente, você fica sem liquidificador e sem sopa). A sopa fica quase como um purê mole. Sirva com a sálvia que você reservou e um pouquinho de azeite extra virgem, e pode tirar onda!

Fiz metade dessa receita e jantei sopa por 4 dias. Ou seja: a receita rende muito! É bem gostosinha, fica meio adocicada.

Gochisousama deshita!








%d bloggers like this: