Jamie Oliver

22 04 2011

Como não se apaixonar pelo Jamie Oliver?

Ele tem um estilo “chef garotão”, ensina receitas fáceis e gostosas, ama a Itália, é todo bom moço e família e quer alimentar corretamente as criancinhas!
Todas gosta.
Eu sou fã declarada. Adoro os programas, leio qualquer noticia sobre ele, sigo no twitter e tenho um dos livros. Amor de verdade.

Esses são os s 2 melhores momentos dele, para você amar também:

1) Jamie na Itália

Como uma apaixonada pela Itália, ver o Jamie explorar melhor as peculiaridades e as comidas daquele país é uma delícia. Ele mostra as diferenças de várias regiões, e o segredo fundamental da culinária italiana: use poucos ingredientes, mas cozinhe com qualidade. O mais engraçado da série de programas é ver todo mundo criticando ele porque ele tenta mudar as receitas, ao invés de cozinhar que nem a mamma!

Esse vídeo é fantástico: mostra uma menina de 6 anos fazendo orecchiette muito mais rápido que o Jamie, ele descrevendo a beleza da vida que é uma burrata (o equivalente alimentício ao CÉU NA TERRA, um queijo fabuloso) e todo mundo palpitando enquanto ele cozinha!

2) Palestra no TED

Uma das coisas mais admiráveis do Jamie Oliver é o engajamento dele com a alimentação saudável. Começou quando ele se envolveu com a alimentação das escolas da Inglaterra – ele criou todo um movimento para melhorar a qualidade da comida nas escolas públicas. E agora ele está levando esse pensamento para os EUA, terra da junk food. É uma tarefa gigantesca, mas só o fato de trazer atenção para esse assunto e começar esse movimento já é fantástico.

Esse post já está longo, então no próximo vou falar do que interessa: Receitas do Jamie – do programa de TV e de um dos aplicativos de iPhone.

Acho que por hora eu só precisava de inspiração, e ela vem toda vez que eu assisto o discurso do TED.





Panquecas!

24 01 2011

Uma das primeiras coisas que aprendi a cozinhar foram panquecas. Adorava fazer um monte no final de semana e me empanturrar loucamente… acho que algumas coisas não mudam. 🙂

As panquecas também foram responsáveis pela minha primeira queimadura culinária mais séria. Eu queria virar a panqueca na frigideira sem a espátula, só jogando pra cima mesmo, que nem no desenho do Pica Pau. Uma vez, ao virar a panqueca, meu dedo indicador queimou na parte de metal do cabo da frigideira. Ai! Resultado: uma bolha gigante no dedo que fez ele ficar curvado. Por 3 semanas, eu não conseguia apontar pra frente.

Contudo, esse incidente me dá mais segurança para continuar a fazer tentar virar a panqueca e saltear legumes. Estou melhorando! É preciso ver se a panqueca está soltinha e jogar pra cima sem medo. Tem que controlar no pulso!

Mas quem sou eu para ensinar algo? Aprenda com a mestra, Julia Child (versão Meryl Streep e versão original):

Gotta love Julia!

Receita de panqueca é mto simples…

Ingredientes

1 ovo

1 xícara de leite

1 xícara de farinha (dá pra usar 1/2 integral 1/2 refinada)

Como fazer

Misture todos os ingredientes e bata com o mixer (se você for phyno, use o fuet).

Unte uma frigideira com pouca manteiga/óleo, jogue um pouco da massa – para ficar uma panquena americana gordinha, use uma concha e jogue a massa só no meio da frigideira.

A panqueca começa a fazer bolhas…

Bolhinhas!

A cena é bonita, dá vontade de ficar parado olhando. Porém, cuidado: se você fizer isso, pode se distrair…

Burned, baby. Burned.

Fiquei admirando as bolhinhas e, quando vi, a panqueca estava queimada. Ou seja: assim que começar a fazer bolhas, veja com a espátula se o fundo já está desgrudado da frigideira. Assim que estiver, vire a panqueca, espere o outro lado ficar da cor ideal e é isso. Está pronta!

O bom de panqueca é que é fácil de fazer, mas faz você sentir que sabe cozinhar horrores. Gordon Ramsay que se cuide!

Pancakes

Panquecas para uma manhã feliz

 

Update: achei esse vídeo do Jamie Oliver fazendo panquecas com as filhas dele que é a coisa mais fofa do mundo! Awwwwww!





Sopa de Abóbora – Receita do Oliver :)

8 04 2010

Sempre defendi que a criatividade é uma questão de exercício. As idéias e a inspiração que tanto buscamos estão rodando a nossa volta. Ser criativo é saber se abrir para observar, associar e, então, construir.

Por exemplo, a idéia de fazer uma sopa de abóbora japonesa me surgiu de uma junção de 3 fatos:

1) Assistindo Top Chef (adoro), um dos participantes fez uma sopa de abóbora. Na hora, só achei legal.

2) Fui no supermercado e, quando fui pegar abobrinha, tinha um monte de abóbora japonesa me atrapalhando. Depois, na prateleira dos orgânicos, mais outro monte de abóbora japonesa no caminho. Nessa hora, olhei pra tanta abóbora, e pensei: “Deve ser época para ter tanta. Bom sinal: vou levar uma”.

3) Procurando receitas, lembrei da sopa de abóbora do Top Chef, mas não achei a receita. Procurando melhor, e achei uma receita do Jamie Oliver. Não sei se já falei, mas eu sou apaixonada por ele. Além de estar toda feliz de fazer uma receita dele, ela era uma das mais lights que eu encontrei. U-hu!

Sopa de Abóbora Japonesa

Receita original do Jamie Oliver – só reduzi as medidas e tirei o chili. Mas da próxima vez eu vou colocar o chili.

Primeira parte: ajustar as medidas! Viva o sistema métrico, não é minha gente? Descobri que 1 quart = 0,9 litro, mais ou menos.

Ingredientes

16 folhas de sálvia

2 cebolas vermelhas (óbvio q usei a normal), descascadas e em cubos

2 talos de salsão, limpos e em cubos

4 dentes de alho, descascados e em cubos

2 talos de alecrim – use as folhas

1/2 pimenta chili (ou dedo de moça, ou equivalente), sem semente e cortada bem fina

2 kg de abóbora japonesa – Isso dá um pouco mais de uma inteira – sem sementes e em pedaços. Pode deixar a casca.

2 litros de caldo de galinha (pode usar mais se quiser, a sopa fica bem cremosa)

sal e pimenta do reino a gosto

azeite extra virgem

Modo de Preparo

Aqueça umas 3 colheres de sopa de azeita em uma panela grande, e frite a sálvia por uns 30 segundos, ou até ela escurecer. Tire a sálvia e reserve num papel toalha – depois você vai usar pra decorar.

Parabéns, agora você tem azeite temperado com sálvia! Na mesma panela, coloque a cebola, o salsão, a cenoura, o alho, as folhas de alecrim, a pimenta chili, e uma boa pitada de sal e pimenta do reino. Cozinhe por uns 10 minutos, até que os vegetais fiquem molinhos.

Adicione a abóbora e o caldo de galinha na panela, aqueça até ferver, depois abaixe bem o fogo e deixe cozinhando por 30 minutos.

Não tirei foto da sopa (oops). Então vai uma foto da abóbora!

Depois de cozinhar, deixe a sopa esfriar por 5 minutos e bata no liquidificador (com a sopa quente, você fica sem liquidificador e sem sopa). A sopa fica quase como um purê mole. Sirva com a sálvia que você reservou e um pouquinho de azeite extra virgem, e pode tirar onda!

Fiz metade dessa receita e jantei sopa por 4 dias. Ou seja: a receita rende muito! É bem gostosinha, fica meio adocicada.

Gochisousama deshita!








%d bloggers like this: